domingo, 14 de maio de 2017

FELIZ DIA DOS FILHOS!!!

Ops, calma, vocês podem achar que estou confusa, é que na verdade essa foi uma maneira que encontrei para relembrarmos que, apesar de   ouvirmos, e  recebermos muitas homenagens, sabemos que ao comemorarmos o dia das mães, automaticamente, comemora-se o dia dos filhos, sim, uma dádiva concedida por Deus, o milagre da VIDA. Porém também um momento de reflexão: o que mais importa para uma mãe receber como presente?  Acredito que todos saibamos, e esse presente receber não encontra-se em prateleiras, muito menos à venda. Sabemos que ganhar presente é bom, talvez necessário, mas não suficiente, nada preencherá o espaço chamado AMOR, RESPEITO, ATENÇÃO, DEDICAÇÃO, e tantos outros adjetivos. Lembrando que todos os dias são especiais ao lado de quem amamos, e que essa data é marcada no calendário "comercial", então sempre que puder reflita sobre. Segue minha homenagem a todos que de alguma forma fazem esses seres fantásticos chamado Mãe ter orgulho de ser o que é.

Poema Enjoadinho
Filhos... Filhos?
Melhor não tê-los!
Mas se não os temos
Como sabê-los?
Se não os temos
Que de consulta
Quanto silêncio
Como os queremos!
Banho de mar
Diz que é um porrete...
Cônjuge voa
Transpõe o espaço
Engole água
Fica salgada
Se iodifica
Depois, que boa
Que morenaço
Que a esposa fica!
Resultado: filho.
E então começa
A aporrinhação:
Cocô está branco
Cocô está preto
Bebe amoníaco
Comeu botão.
Filhos? Filhos
Melhor não tê-los
Noites de insônia
Cãs prematuras
Prantos convulsos
Meu Deus, salvai-o!
Filhos são o demo
Melhor não tê-los...
Mas se não os temos
Como sabê-los?
Como saber
Que macieza
Nos seus cabelos
Que cheiro morno
Na sua carne
Que gosto doce
Na sua boca!
Chupam gilete
Bebem xampu
Ateiam fogo
No quarteirão
Porém, que coisa
Que coisa louca
Que coisa linda
Que os filhos são!

Para Sempre
 Por que Deus permite  
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.

Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017